O céu se fez nublado quando você me fez saudade
E de toda essa vontade fica só o tempo passado

A noite foi infinita quando meu sono não veio
E também não veio você e sua voz pesada

E não vejo o seu sorriso há tempo
E não quero suas desculpas vazias

Porque meus olhos ardem quando a noite é a mais fria
E no meu peito congela um amor desamparado

Cai a chuva e umedece o chão quente
E o seco vira poça
E vira lama

E sobe o cheiro de terra molhada
E já há água no capim tórrido, nos restos das flores, nas tentativas da semente
E o silêncio tem barulho de gotas estourando com o peso de mil nuvens
Parece o suor do céu escorrendo pelos dedos de Deus
E pingos são lançados ao finito para cavarem mini-crateras em qualquer superfície que os detenha

Quando fecho os olhos, cessam as lágrimas e passa o temporal, restando, aos sentimentos cansados, a noite cinza de um dia meu.

Ela chega devagar, ocupando um canto da sala
Depois sentindo-se a vontade abre logo as malas
Procura pelos cabides vazios e pendura longos casacos
Calcas jeans, blusas vermelhas, meias tres-quartos
O seu cheiro ja esta em todas as minhas gavetas
Minhas gravatas, minhas jaquetas

Pouco tempo depois, nao forra mais a cama
Sua voz ja nao diz que me ama
E me sufoca no escuro
Entre lagrimas e solucos
E eu a peco que va embora
Que va doer la fora

Me deixe ser sozinho
Que vou tentar seguir meu caminho
Porque minha maior vontade
E que voce abandone, saudade
Que pare seus sussurros frios
E deixe meus cabides vazios

A ele

Que, enquanto passa, rouba todos os meus curtos minutos
E, quando cansa e para, congela esses medos tao profundos

Que nunca volta, mas se enche sempre de absurdos
E, voce sabe, transforma uma dor humana em algo d’outro mundo

E depois engole o dia, as lembrancas e meu pulso
Restando a saudade que bate num peito avulso

De uma alma ida, sem volta, talvez perdida
De umas rugas nas maos, dele sempre amigas

Um brinde que o eleve a sua infinitude
E que, na minha vida, seu efeito nunca mude

Ao tempo.

Eu sentei no canto do escuro
Pra saber o pensamento do silencio
E da saudade o grande tormento

Porque tudo que vi era muro
Cascatas de solidao
Meros sonhos, ilusao

Fiquei sozinha nesse mundo
E quando voce voltar
Ah, nao volta nao