Sobre Lili Belotti

Um pouco de menina, um tanto de mulher...apaixonada pela vida e em constante mudança!!!

Querida Adiva, como você está hein?
Eu deveria saber a resposta já que temos sido inseparáveis durantes os útimos 23 anos, mas como você me conhece bem, sabe que respostas são algo distante da minha natureza.
Sabe querida, ando meio frustrada! Não sei o motivo e muito menos de quem é a culpa, só sei que é assim que me sinto atualmente e isso cansa!
Você deve estar perguntando o que me falta, e eu digo que não tenho certeza mas, muitas coisas faltam…
Um dos empregos preenche minhas manhãs com vazios, sono e tédio, o outro me dá satisfação e prazer, mas vale lembrar que o dinheiro é pouco em ambos.
A monografia me enche de agonia e frustração, sendo que nem comecei a escrevê-la (hummm talvez seja esse o motivo…hehe).
Os planos futuros estão encaminhados e caminhando, mas mesmo assim me dá uma sensação de demora que consome meu sono, meus pensamentos!
Ah querida não quero ficar aqui sendo a chata, reclamando, então fico por aqui.
Me escreva qualquer dia desses ok?
beijos,
LoveSnowFlake

O que sinto dentro do peito dói, aperta, machuca.

Quero te colocar contra a parede e fazer você entender que ninguém gosta de você como eu, que ninguém é capaz de te fazer feliz como eu…caramba! Você não entende isso né?

Quando você vai abrir os olhos e ver que a felicidade está aqui, comigo?

Deixa eu te abraçar para que você sinta como gosto do teu jeito, do teu cheiro, teus defeitos, tua voz, teu beijo…me diz , quando te terei novamente?

Quando vou te esquecer?

Just tell me quando!

Eu queria cantar a NEVE como quem canta a mais bela canção.

Queria fazer da NEVE o mais belo dos sentimentos.

Queria da NEVE o calor, a luminosidade , a beleza de seus flocos leves e únicos,meigos e singelos.

Carrego comigo essa beleza na memória e na pele mas,queria carregá-la no olhar.

Queria olhar para o infinito e só a NEVE ver.

Vê-la caindo, ver seus flocos-bailarinos dançando leves pelos ar numa queda sutil, numa queda que não é queda – é AMOR!

 Nesse descompasso compadeço e não meço o que peço.

Mexo e não deixo ficar, só ficar não dá.

Fujo,mudo…mas para quê mudar se eu só quero ficar?

Volto, reconheço,compadeço…peço e espero…MORRO!

A cabeça pensa o que o corpo não pode fazer.

Desejos tomam o pensamento…a boca fica seca…as mãos inquietas e suadas.

Os minutos se arrastam – parece que o ponteiro parou!

Olhos nos olhos, boca na boca, mãos entrelaçadas, corpos suados… – OPEN YOUR BOOK AT PAGE 94, LET’S START THE CLASS!