Sábado à noite, de papo com um dos meus melhores amigos, ele me pergunta se eu queria visitar Londres com ele. Na hora eu ri, claro. “Espera, quero te mostrar uma coisa…” e eis que ele liga o computador e entra num site com vídeo. A princípio achei que fosse o youtube, mas logo percebi onde eu tinha ido parar: no cruzamento mais famoso do mundo na rua Abbey! A cena na capa do último (e dizem ser o melhor) álbum dos Beatles, que leva o nome da avenida, virou um marco. Eu diria que, considerando as circunstâncias, é happening às avessas. Apesar da suposta previsibilidade, ninguém sabe o que pode acontecer durante a performance.

Eram 21h aqui, então lá já passava das 1h da madruga do domingo, mas com a virada do horário de verão, estamos apenas 3h a menos do que o fuso de lá. À noite, poucas pessoas e poucos carros, mas não sei por qual motivo, razão, circunstância e, nossa, como eu pude lembrar?! Só sei que ao acordar e ligar o meu computador, resolvi acessar o site. Eu penso que isso sim é um verdadeiro reality show. Por uma hora eu assisti, em tempo real, pessoas passando, parando, fotografando, interagindo com a câmera, motoristas respeitando pedestres e pedestres respeitando a travessia somente na faixa, mas não é só isso; eu vi ciclistas dividindo harmoniosamente o asfalto, um pássaro atravessando pela faixa, indo e voltando. Depois um menino de uns 2 anos, aproximadamente, tentando pegar o pássaro. Pai passeando com os três filhos pequenos e outro pai dando tchauzinho pra câmera abraçado aos dois filhos grandes e falando no celular. Eu fiquei imaginando a conversa:

“Olha eu aqui!! tá me vendo? (…) é Abbey com dois B… (…) só ponto com (…) ah, agora tá me vendo? AHH legal!!! HUUAUUA (…) O Nicolas e o Joseph estão mandando um olá [os adolescentes com cara de paisagem do tipo ¬¬](…) ah é? então dá um print na tela. Tem como gravar? (…)”

Eu até vi uma jovem que resolveu parar na avenida mas deu um pulo rápido, porque aquele motorista, pelo visto, não queria esperar. Confesso que eu ri, mas ainda bem que ela não atropelou o carro.

Eu me diverti muito assistindo àquelas pessoas. Vou te levar até lá, aceita ao convite? Então entra!

 

Demorei, não é?

Mas estou aqui de volta! E aí, conferiram a dica anterior sobre profundidade de campo? Se você tentou e deu certo deve ter gostado dos resultados diferentes que conseguiu. Parabéns!

Agora, vamos lá! De tempos em tempos um casamento acontece na nossa vida, um primo, um brother, o companheiro de baladinhas e viagens, uma irmã… Pois então, que tal saber uns “truques” aparentemente inocentes?

Procure um objeto bonito que fique por perto da noiva ou do noivo, se esconda entre ele e os noivos, faça-o de plano de fundo, tente compor a foto como se fosse um lindo quadro. Ache objetos com transparência. Vai gostar.

Outra imagem interessante é você se posicionar em lugares onde os olhos menos atentos estão. Procure lugares mais altos, agache-se.

Quando eu devo ligar meu FLASH?

Dá vontade de dizer: Nuuuunca!!!! Mas nem sempre isso é possível. O flash é uma luz muito dura, ela distorce a imagem real, entende? O bom mesmo é tentar rebater o flash numa parede e a luz que irá voltar, bate no objeto desejado ou na pessoa. Mas a maioria das pessoas possuem aquela câmara compacta, aquela onde o flash vem embutido no equipamento. Assim fica mais difícil, mas nada está perdido. Você se lembra do seriado com o “MacGiver”? Grande mestre!!!! Hahahaha! Você vai fazer uma “gambiarra”1. Pegue um pedaço de papel celofane branco, palitos de fósforo e fita crepe. Faça um quadrado de palitos de fósforo, uns quatro de cada lado tá bom, coloque o celofane pra cobrir o fundo e prenda com a fita, depois coloque essa caixinha na frente do flash. Você fez um difusor de luz. Tire e coloque na hora que tiver vontade, mas ande com a fita crepe no bolso. A luz que sairá de lá já não será mais tão dura, ela vai se espalhar antes de atingir o alvo. Espero que dê certo. Me contem depois.

Listinha de imagens que não podemos deixar num casamento: Noivos (óbvio), pais deles, padrinhos, daminhas e etc… Detalhes da decoração como flores, docinhos, bolo, vestido da noiva, alianças no dedo, o brinde, a dança com o pai e o noivo, a chegada, a saída, o buquê, e é claro…O beijo. Pelo amor de “nossa senhora da boa imagem”, jamais fotografe as pessoas comendo.

É isso aí… Bons cliks!

 

Curiosidade:

Sabia que na Europa as pessoas têm o hábito de fotografar pelas ruas da cidade, em lugares diferentes antes de ir pra festa ou até mesmo um ensaio antes do dia oficial só para ter imagens diferentes.

Continuamos escrevendo com a luz!

 

1 gambiarra: Forma grosseira, mas em muitos casos eficiente, de se fazer uma ligação ou adaptação de algo não convencional.

 

Em mês de Copa do Mundo de Futebol, o assunto principal na rede são os jogos, os bolões, as zebras e as vuvuzelas. Parece lugar comum falar em zebra numa copa em continente africano, mas as surpresas não param por aí; enquanto uma maioria aproveita para assistir aos jogos (alguns em fullHD), outros que não querem nem saber do assunto não precisam se sentir excluídos. A tecnologia também está presente no Xadrez e no Bilhar.

Imagine um tabuleiro de 12 pés (3,6 m), com peças de lego controladas por computador. Lembra o xadrez bruxo, mostrado no filme Harry Potter e a Câmara Secreta, com exceção da destruição das peças removidas. Confesso que essa seria a melhor parte, porém nem todos dispõem de 30 mi dólares sobrando, pra jogar somente uma única partida.

É possível conferir o Monster Chess (como é chamado) ao vivo no Brickworld 2010 durante o mês de junho; um evento criado por adultos que são fãs de lego.

Para aqueles que não estão nem pra lá nem pra cá como nerds, que tal um boteco com cerveja de qualidade, uma boa mesa de bilhar e um adversário à altura? Acredite, é possível. A cerveja não é garantida, mas o PR2 é um robô que com um taco nas mãos, ou melhor nas pinças, consegue fazer jogadas certeiras. O mais interessante é a tecnologia envolvida no desenvolvimento desse equipamento.

Na verdade você acredita que futebol ainda é o melhor negócio, mais barato e de fácil acesso, mas não suporta ouvir o zunido daquelas vuvuzelas. Em busca da sua satisfação – afinal agradar o cliente é o dom do negócio, saiba que um alemão não só se preocupou com isso como buscou uma solução para este problema, desenvolvendo uma maneira diferente capaz de filtrar o barulho das vuvuzelas! Com um “”plus”” – não é necessário ter computador!

Se você chegar à conclusão de que não é possível vencê-los, procure a TV mais próxima, convide os amigos e junte-se à vuvuzela deles!

Seria isso possível?

Poucos dias pra copa do mundo de 2010. Quero registrar os momentos com os amigos, os parentes e os colegas de trabalho. O que fazer pra obter melhores imagens?

Vamos lá!

Pegue seu equipamento e divirta-se! Se você não tem paciência para ler “toooodo” manual, procure sempre ângulos diferentes. Aqueles onde os olhares desatentos das pessoas do local não perceberam. Vá para baixo da mesa, por trás da TV, registre os olhares na hora da emoção! Se posicione em locais estratégicos, em planos mais altos, mais baixos. Faça de conta que é o olhar de um gato como espectador da cena, talvez uma mosca.

Uma boa dica também é procurar objetos pra colocar em primeiro plano. Quando fazemos isso bem de pertinho, conseguimos desfocar o fundo. Experimente focar uma bandeira do Brasil bem de perto, e pra compor a foto seus amigos no sofá assistindo ao jogo. Uma latinha de cerveja, um apito… Use a criatividade. Fica incrível!

Saiba que o olhar é muito mais importante que a técnica. Contemplando suas novas fotos, você tomará gosto pela coisa e quem sabe até ler “toooodo” manual da sua câmara.

Fique atento para as próximas dicas que daremos.

Bons clicks, bom jogo e sorte pra seleção!!!!

 

Curiosidade:

Você sabia que o nome correto é CÂMARA e não camera?

Por ser uma caixa escura, tem esse nome. Um fio de luz entra nesta caixa e registra as imagens.

Fotografia: FOTO = Luz. GRAFIA = Escrita.

Escrevendo com a luz!