pois é. acabou. não vou mais ter de chegar em casa numa sexta feira correndo, ter uma hora pra descansar e depois me arrumar de novo para ir trabalhar. não vou mais aturar você gritando no meu ouvido que você odeia tanto as pessoas que eu gosto. que você detesta a música que eu escuto. não vou mais nem ter que ouvir seus chiliques. nem seus trambiques achando que és a pessoa mais correta do mundo. não vou ter que ser condizente com seu pensamento pequeno que tudo é uma droga e que nada vai mudar. desta vez não vou precisar esperar até amanhecer o dia para poder ir embora. não vou tomar banho de chuva no ponto de ônibus 5 horas da manhã imaginando como teria sido se eu tivesse dançado só mais uma com aquele carinha interessante. nem vou mais curtir baixinho as canções que gritavam dentro de mim e nem vou me privar de cantar só porque o seu ouvido é tão sensível a isso.

vou poder gostar de verdade do som que sai daquele instrumento musical. também não vou poder mais esbanjar dinheiro no final de semana. não vou poder contar com aqueles R$40,00 sagrados das noites torturosas de sexta e sábado. vou ter que me apertar durante o mês, só até eu ser promovida mesmo – e isso tão logo vai acontecer. diferente. muito diferente de você, eu não vou esperar que as coisas aconteçam, eu não vou ficar aguentando aquilo que eu não suporto. não vou conviver com gente que eu detesto. vou agora mesmo me levantar deste tombo da vida e dar a volta por cima, enquanto você fica ai….reclamando.

Deixe uma resposta

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

requerido