e foi de um amasso meio dado no domingo que acabei me lembrando deles. dai cheguei em casa e fui fuçar nas minhas coisas soltas. achei alguns. histórias? algumas várias. tenho algumas que fariam qualquer um ficar vermelho vermelho de ler. mas é melhor não divulgar. alguns eu perdi dançando. outros eu perdi na pressa de encontrar com alguém. outros..bem outros se perderam no meio de mãos, rostos e bocas. esses sim são os melhores. aquele que a gente perde e só se dá conta quando está dentro do carro voltando pra casa. dai a cabeça faz um esforço danado pra saber onde foi que ele se perdeu…mas não funciona. o instinto está tão aguçado pelo efeito açucarado que é se perder nas mãos e nas coxas de alguém que nem depois de muito esforço conseguimos dar conta onde é que foi parar aquele brinco. Teve alguns que eu até chorei por perder. não que me senti arrependida. mas poxa…havia gostado tanto do tal brinco que eu sabia que ele me faria falta. Mesmo porque ele combinava muito bem com aquela roupa que eu adorava vestir. ainda me lembro do brinco branco grande que perdi numa parede estranha de algum lugar. logo depois dançando uma amiga disse – Ué..cadê seu outro brinco, então eu pensei rápido..Nada amiga..isso aqui é pra fazer moda e não é que a tal moda pegou…acho que acabei fazendo de certa forma um hit..rs..

Deixe uma resposta

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

requerido