Ele sorriu para ela como se fossem dois estranhos. Ela retribuiu. Com um ar “sem-graça” ela se dirigiu a ele e o cumprimentou, sentindo o peso da obrigação de fazê-lo. Ele até que a recebeu agradavelmente, e no curto espaço de tempo de um beijo no rosto, assim mesmo, sem palavras, aquela antiga e arrebatadora paixão de outrora faiscou nos olhos e nos corações de ambos.

O corpo dela se aqueceu como que tomado por uma febre súbita. O dele estremeceu. Naqueles poucos instantes em que estiveram próximos depois de tanto tempo, sentiram-se novamente pertencentes um ao outro.

O perfume dela inebriou os pensamentos dele. A textura de sua pele o fez sentir o mundo rodar. O toque das mãos dele em seus braços a fez sentir como se flutuasse. O calor de seu hálito a enrubesceu. Várias recordações passaram pela mente dos dois. Da primeira vez que se viram na praia, no verão de três anos atrás. Do primeiro beijo no píer do hotel na noite enluarada. Do dia em que conheceram os pais um do outro. Da primeira vez que passaram uma noite juntos. Da primeira briga por motivos bobos. Dos planos para o resto da vida. Dos nomes que escolheram para os filhos que gostariam de ter. Dos aniversários, natais, festas de fim de ano. Da sempre constante atração sexual. Das loucuras, dos ciúmes. Todo o passado recente e maravilhoso de duas vidas tornadas uma lhes iluminou naqueles poucos instantes, no tempo de um beijo no rosto.

Deixe uma resposta

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

requerido