Todos os dias, as obrigacoes
As decisoes, preocupacoes
O tempo correndo, correndo, correndo
E eu perco tempo pensando
Em tudo que deveria estar fazendo
E que nao faco porque me engano

Todos os dias, o cansaco
A preguica e o mormaco
Que seria nao fosse o frio
E as palidas coisas que adio
Como a neve congelando o chao
E clareando noites frias em vao

Todos os dias, a saudade
Cansada da vida, com maldade
Refazendo o tear da rotina
(Tao amolada guilhotina)
Empurrando com a barriga
Essa minha longa e fatigada vida

Deixe uma resposta

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

requerido