Segunda-feira e tu fechas os olhos para lembrar os dias
E, quem sabe, trazer de volta o laranja daquela tarde
A música dos meus olhos, só tu sabias

E cansa teu corpo com essa maldade
A falta que faz, a tal felicidade
Aperta teus olhos, quase sem vontade
Querendo alcançar o que te escapa

Meu vestido vermelho te atormenta
E a doçura do beijo
O ardor do desejo
A cor de minh’alma

E tua mão tateia teu peito enquanto tudo é escuridão
Uma pena
Porque teus bobos dedos ainda me procuram em vão

Deixe uma resposta

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

requerido