Descobriram o óbvio
Enfureceram os sábios
Explodiram as mentes
Dos que ousaram saber

Queimaram os corpos
Mutilaram os membros
Expeliram os restos
Dos que fingiam viver

Aonde estão os caminhos livres?

Espatifaram os pratos
Desvendaram os mapas
Esqueceram os freios
Dos que precisaram esquecer

Enlamearam as casas
Arrombaram as portas
Derrubaram janelas
Dos que tentaram saber

Aonde estão os caminhos livres?

Multiplicaram as dúvidas
Exploraram o nada
Mentiram sobre tudo
O que queríamos ter

Encheram o saco de todos
Esmurraram as faces
Chutaram os rabos
Dos que tentaram fugir

Aonde estão os caminhos livres?

Deixe uma resposta

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

requerido