Onde todos nossos sonhos se perdem

É possível encontrar fantasias rasgadas

De outros carnavais

Os muros que cercam o lugar são rosados

E possuem figuras pintadas em suas faces

São rostos em tons de azul e roxo

Que expressam mil faces e expressões diferentes

As árvores que brotam em seu interior

Só florescem uma vez por ano

E de seus frutos nascem os nossos desejos

Mas logo apodrecem e caem

Deixando-nos a esperar outra vez

Longe da verdade, sem sabermos que

É impossível mantê-los vivos por mais tempo

E, então, devorá-los num só fôlego.

 

Deixe uma resposta

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

requerido