Canetas

Pegar uma caneta e rabiscar algo: situação comum que nos acompanha desde antes dos tempos de escola. Mas nem sempre foi assim, fácil. As primeiras escritas foram feitas com objetos de madeira ou ossos pontiagudos que marcavam tijolos. Na era do papiro usavam-se objetos – como penas de ganso e bambu – molhados em tintas vegetais. Tempos depois surgiram outros modelos que foram aperfeiçoados até a maneira que conhecemos hoje.

Para muitos profissionais é uma preciosa ferramenta, necessitando estar sempre à mão. Para poucos representa capricho, estilo, coleção. Para outros, inspiração: facilita o processo de transformar pensamentos e sentimentos em letras num papel. Caneta é um objeto simples que pode custar de centavos a milhares. Pode ser industrializada, artesanal, improvisada e, agora, ecológica.

No mercado já existem disponíveis modelos feitos com material reciclado, como: papel, papelão, embalagens tetra park, pet, serragem de madeira, reflorestamento de eucalipto, etc., e material plástico biodegradável. A principal diferença é que a embalagem de uma caneta comum pode demorar 400 anos para se decompor na natureza. As canetas biodegradáveis levam em média 180 dias.

A função é a mesma. A vantagem é que a utilidade e a inspiração podem se unir à responsabilidade.

O planeta agradece!

 

Referências:

Plásticos Biodegradáveis:

http://www.resbrasil.com.br/

http://www.youtube.com/watch?gl=BR&hl=pt&v=LBIt-iJC_NU

Canetas ecológicas:

http://www.canetasecologicas.com.br/

Bic ecolution:

http://www.bicgraphic.com/servlet/OnlineShopping/bgb?DSP=670

 

Um pensamento em “Canetas e o meio ambiente

Deixe uma resposta

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

requerido