O fim do ano está aí e com ele o bacalhau à doré, o chester defumado, em algumas casas a carne de carneiro, frutas cristalizadas, castanhas, nozes e toda a sorte de guloseimas natalinas, e a promessa do regime sempre adiada o ano inteiro é logo postergada para o ano que vem.

Há também os que já vão para a ceia natalina com a tabelinha na mão: meio bolinho de bacalhau, 1 porção de arroz integral, 3/4 da fatia do peito de peru e olhe lá! Mas o inevitável é que uma hora ou outra, o terrível momento de subir na balança chega e nem sempre o resultado é agradável. Mas não se desesperem: há muito a ser considerado sobre essa informação ponderal. Nem sempre ela é verdadeira. Vamos lá?

Quando nos pesamos, o valor registrado na balança nos informa apenas a força com que a gravidade está nos atraindo para o centor da Terra. desta forma não temos como avaliar o quanto desse peso em excesso está armazanado em forma de gordura, ou músculos, ou ossos, vísceras ou até água.

Raciocinando desta maneira encontramos o porquê de mesmo após um árduo período de treinamento de musculação e atividade aeróbica, nota-se algumas vezes pouca diferença no peso registrado na balança e o quanto isso é um fator desmotivante. Ou até mesmo não entender quando você claramente perde roupas por reduzir cintura ou quadris por exemplo, e não encontra diferença no peso da balança. este é um caso bastante comum e de fácil conclusão.

A diferença estre a gordura e o músculo está na DENSIDADE; a gordura é menos densa do que o músculo e por isso é mais leve e ocupa mais espaço. essa comparação é análoga à história do chumbo e do algodão quando se é perguntado: Qual é mais pesado: 1kg de chumbo ou 1kg de algodão? Todos sabemos que o peso entre os dois é igual, mas 1 kg de algodão terá um volume infinitamente maior do que a barra de 1kg de chumbo.

Entre dois indivíduos também se é notada a diferença de densidade entre as gorduras armazenadas, ou seja, segundo sua genética, um indivíduo pode ter uma gordura mais densa do que outro indivíduo, mas essa gordura mais densa nunca terá a densidade semelhante à muscular. Chamamos vulgarmente de “gordura mole” e “gordura dura”, características estas que não poderão ser modificadas.

Por isso, caros amigos e amigas, muito cuidado na hora de subir na balança e antes de acreditar piamente no que ela disser, lembre-se de que você tem uma composição corporal e ela não é composta apenas por gordura!

Como descobrir o quanto no seu corpo é gordura, músculos, ossos e outras estruturas? Procure um avaliador qualificado na sua academia ou consultório.

Boa ceia!! Feliz Natal!
BIBLIOGRAFIA:
POLLOCK, Michael L; WILMORE, Jack H. Exercícios na saúde e na doença. 2ª ed. Rio de. Janeiro: medsi, 1993.

 

Deixe uma resposta

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

requerido