Eu queria cantar a NEVE como quem canta a mais bela canção.

Queria fazer da NEVE o mais belo dos sentimentos.

Queria da NEVE o calor, a luminosidade , a beleza de seus flocos leves e únicos,meigos e singelos.

Carrego comigo essa beleza na memória e na pele mas,queria carregá-la no olhar.

Queria olhar para o infinito e só a NEVE ver.

Vê-la caindo, ver seus flocos-bailarinos dançando leves pelos ar numa queda sutil, numa queda que não é queda – é AMOR!

 Nesse descompasso compadeço e não meço o que peço.

Mexo e não deixo ficar, só ficar não dá.

Fujo,mudo…mas para quê mudar se eu só quero ficar?

Volto, reconheço,compadeço…peço e espero…MORRO!

– Bom dia! Em que posso ajudá-lo?
– Bom dia. Eu trabalho no setor de vendas e fiquei sabendo que abriu ou está para abrir uma vaga de gerência… eu gostaria de me candidatar ao cargo.
– Sim, sim… essa vaga na gerência abriu faz dois dias e resolvemos dar prioridade ao pessoal que já trabalha aqui dentro. Vou preencher um pequeno formulário com os seus dados e encaminhar à diretoria. Como é mesmo o seu nome?
– Paulo, mas a grafia é um pouco diferente.
– Tudo bem, é só soletrar.
– A-N-D-R-É.
– Como???
– A-N-D…
– Isto é alguma brincadeira? Foi o Rogério do departamento financeiro que mandou você vir aqui gastar o meu tempo, rapaz?
– Calma, calma, não é brincadeira. Como eu já disse, a grafia do meu nome é um pouco diferente…
– Um pouco? É completamente diferente!
– Pois é, o sonho do meu falecido pai (que Deus o tenha!) era que seu filho tivesse um nome único, mas como ele não conseguiu pensar em nenhum nome completamente original e ele detestava as alterações comuns na grafia dos nomes que a gente vê no dia a dia – como Luís e Luiz – ele resolveu que ia reinventar a grafia do meu nome, compreende?
– Em parte, eu acho, mas isso é absurdo. Em nenhum lugar do mundo “Paulo” pode ser escrito daquele jeito.
– Se o senhor pensar bem, vai ver que até tem um pouco de lógica. Como o senhor sabe, em alguns países as letras têm sons diferentes sob certas circunstâncias, concorda?
– Bem, em inglês o “H” tem som de “R”, no hebraico “J” tem som de “I”…
– Foi baseado nisso que meu pai me batizou. O “A” com som de “P”, o “N” com som de “A”, o “D” com som de “U”, o “R” com som de “L” (essa eu acho que ele tirou do Cebolinha, meu pai adorava a Turma da Mônica,) e o “É” com som de “O”. Claro que houve empecilhos: Minha mãe achou que meu pai estava ficando maluco e quase se separou dele, o padre da nossa paróquia por pouco não realiza o batizado, sem contar a grana que meu pai gastou para molhar a mão do escrivão no cartório. Às vezes, como hoje, essa grafia me traz alguns probleminhas, mas é a vontade do meu falecido pai (que Deus o tenha!) que este seja o meu nome, então assim será.
– Meu Deus, que história impressionante!
– Se pensarmos bem… sim, é uma história impressionante, sim.
– Ok, então vamos ao formulário. A-N-D-R-É… Paulo, como a vontade do seu falecido pai. E o sobrenome?
– É, Godoy, senhor: B-R-A-G-A…

No que convencionou-se chamar de Semana Binária, mais um mistério tomou conta da cidade que virou, há pouco tempo, alvo de escândalos devido às supostas aparições do pau de duas cabeças. Inexplicavelmente, em um período de sete dias, todas as mulheres da região confirmaram , após exames clínicos, que estão grávidas de gêmeos univitelinos – inclusive duas lésbicas que vivem juntas e têm união estável reconhecida legalmente.

O anúncio causou celeuma na comunidade científica, que pretende a partir de agora realizar um pré-natal mais detalhado nas 752 grávidas, que darão à luz 1.504 novos seres humanos. Um outro fato chamou a atenção dos médicos e está tirando o sono de pesquisadores: todas as gestantes estão na décima segunda semana de gravidez.

Para o padre Biel de Capadocia, as grávidas devem se apegar a Deus, alegando que somente a religião pode explicar o milagre da vida. Já o delegado, Amilka Lee, segue uma linha de investigação em que há suspeitas de crime sexual. Ele faz um apelo às gestantes:

– Estamos pedindo para que todas colaborem com a polícia, que abram suas casas aos inspetores e contem a verdade caso tenham sido vítimas de abuso. Não importa se o algoz foi um pau de uma ou de duas cabeças, o importante é denunciar.

Para Jonas Öldman, matemático da universidade local, especialista em probabilidade e física quântica, é quase impossível que o evento seja mero acaso ou capricho da natureza:

– Para que estas gestações sejam coincidentes, todos os casais daqui teriam que ter tido relação sexual em um intervalo de, pelo menos, 12 horas. A princípio, estamos trabalhando com a hipótese de contaminação da água com esperma. Ainda é cedo para estabelecermos alguma ligação com pau de duas cabeças, pois engravidar um número tão grande de mulheres e gerar gêmeos é um ato impensável até mesmo para um órgão de origem desconhecida – explica o estudioso.

Ele estava encostado no canto do quarto, com aquele sorriso congelado no rosto. Ela estava um pouco mais adiante, do outro lado, de onde era possível notá-lo e fazer-se notar. Imóvel, deixava as pernas roliças e brilhosas à vista.

Ambos eram lindos. Arquétipos da beleza e da força. Vestiam pouca roupa, deixando às claras as intenções de sensualidade e provocação. Ele de sunga apertada, dorso nu e calçado vermelho. Ela, com um top de decote generoso, saia rendada, cabelos soltos e salto alto.

Passaram horas em silêncio. Um mirando o outro, na iminência paciente que precede o movimento. Foi então que ele resolveu agir. Avançou em cima dela com toda a virilidade disponível e aguardou reciprocidade. Porém, ela resistiu. Virou a cabeça e tentou afastá-lo com seus pequeninos e frágeis braços.

Um jogral angustiante começou a ganhar força. Ele, grave, investia. Ela, aguda, pedia socorro.

Quando a menina chegou ao quarto, lá estava o He-Man em cima da Barbie, quase arrancando suas roupas. Ela retirou com violência os dois bonecos da mão do primo mais velho e o interpelou com veemência:

– Não vou tolerar esse tipo de agressão, ainda mais levando em conta que meu tio é ventríloquo.

No princípio havia apenas o blues. Então Deus disse “faça-se o soul” e o achou bom. No primeiro dia, o Senhor criou o baterista de soul e disse “sob tua responsabilidade ficará a condução, reta e precisa, mas nunca perderás o swing“. No segundo dia Deus criou o baixista de soul e disse “A ti confio o groove e tu farás dele a alma do soul”. No terceiro dia, Deus criou o pianista de soul e disse “a ti entrego a harmonia e tu farás dela um instrumento da Minha vontade”. No quarto dia, Deus criou o naipe de metais e disse “soprai e soprai com precisão, pois vosso sopro acalentará o coração dos que verdadeiramente amam o soul”. No quinto dia Deus criou o vocalista de soul e disse “forte e melodiosa será tua voz, e tu emocionarás os amantes do soul cantando para eles como se cantasses apenas para Mim”. No sétimo dia o Senhor descansaria, mas depois de dois dias ouvindo os outros músicos de soul e os guitarristas de outros estilos musicais, Ele não sabia o que fazer exatamente com o guitarrista de soul. Depois de muito pensar, o Senhor, em Sua infinita sapiência, apontou para o fundo do palco e disse “vai para lá e faze teu blim-blim bem baixinho, para não atrapalhar o resto da banda”.

*Dedicado ao meu amigo Felipe Barão, que adora quando eu faço essas graças.